imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

Neste Editorial elegemos dois temas: o Anuário do Hospital Dona Estefânia como edição com valor bibliográfico reconhecido para publicação de resumos e a importância do tema da Sessão Plenária.

Anuário do Hospital Dona Estefânia. Repositório Médico Científico.

É actualmente a maior base bibliográfica de uma instituição de saúde do País. Trata-se de um repositório de 23 anos contínuos de actividade científica, coligindo sob a forma de resumos as publicações e as comunicações.

Sem esta memória, o material nunca publicado (a grande maioria) ter-se-ia perdido para sempre.

Nos curricula dos médicos, há quem valorize apenas os artigos publicados em versão integral. No entanto, não é invulgar que sejam solicitados os resumos de comunicações em reuniões, publicados em revistas científicas ou em proceedings.

Os médicos do Hospital Dona Estefânia têm uma sede adicional e própria para publicação de tais resumos: o Anuário do Hospital Dona Estefânia. Repositório Médico Científico. O conteúdo de apresentação não publicado, mas com interesse, deixa de ficar “órfão”. Ao ser enviado para publicação no Anuário do Hospital Dona Estefânia o resumo passa obrigatoriamente pelo escrutínio do coordenador da unidade funcional e/ou do director de área, que constitui a necessária arbitragem por pares (peer review). Configurando-se como yearbook, com o devido registo “International Standard Book Number” ISBN ( ISBN: 972-96348-5-8), o material publicado nesta edição tem valor bibliográfico reconhecido. Não se tratando de resumo de artigo ou de comunicação já publicado, o autor pode citar o resumo na forma de publicação em livro, como a seguir exemplificado:

Kjöllerström P. A actividade física na hemofilia, dos primeiros anos à adolescência. 2º Congresso Nacional de Hemofilia da Associação Portuguesa de Hemofilia, Tomar, 2015. In: Anuário do Hospital Dona Estefânia, 23ª edição, Lisboa, 2016 (ISBN: 972-96348-5-8).
Sessão Plenária “Revisões Sistemáticas”

Todos os médicos ao longo das suas carreiras foram algum dia desafiados a apresentar a revisão sobre algum tema. Ao falar em revisão, pensamos logo na revisão teórica que colige material disperso de várias fontes, ou actualiza uma súmula com utilidade para a prática clínica. Estas revisões narrativas são geralmente apresentadas com sucesso, mas quase nunca publicadas. Para tal, os editores reservam o convite a peritos reconhecidos nas respectivas áreas técnico-científicas.

Coisa diferente são as revisões sistemáticas, que assentam na pesquisa exaustiva da literatura sobre determinado tema, procurando responder a uma questão clínica ou científica. Da bibliografia consultada, são seleccionados por critérios previamente estabelecidos os estudos com qualidade metodológica e científica; para tal selecção são necessários conhecimentos de metodologia de investigação. As revisões sistemáticas são consideradas por isso uma forma de investigação e são publicadas quer em revistas generalistas quer em edições especializadas, como a Cochrane Database of Systematic Reviews. Para tratar de tal tema convidámos para a Sessão Plenária do Anuário o Professor Ricardo Fernandes, Consultor Científico e Co-Diretor da Portuguese Collaborating Centre of the Iberoamerican Cochrane Network.

 

Lisboa, 18 Maio de 2016
Ana Cristina Ferreira
Luis Pereira-da-Silva