imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

UM CASO DE DIARREIA RECORRENTE, DESIDRATAÇÃO E ACIDOSE METABÓLICA GRAVE

Sara Nóbrega1, Rute Neves1, Catarina Gouveia2, Luis Varandas2, Raúl Silva1

1 – Unidade de Cuidados Especiais Respiratórios e Nutricionais, Hospital de Dona Estefânia
2 – Unidade de Infecciologia Pediátrica, Hospital de Dona Estefânia

- Reunião da Área de Pediatria Médica, 27 de Maio de 2014

Apresenta-se o caso de uma lactente do sexo feminino, actualmente com 10 meses de idade, que teve vários internamentos no HDE, o último dos quais na UCERN, em Fevereiro deste ano. Trata-se de uma lactente, caucasiana, filha de pais jovens e contexto familiar complexo, gravidez de termo e somatometria adequada à idade gestacional. Foi internada pela primeira vez às 3 semanas de vida por laringo-traqueomalácia grave com necessidade de cirurgia e refluxo gastro-esofágico. O segundo internamento ocorreu aos 2 meses e 3 semanas de vida por diarreia com sangue, desidratação e acidose metabólica grave com necessidade de estabilização hemodinâmica e hidroelectrolítica intensivas, destacando-se isolamento de Campylobacter e Clostridium difficile nas fezes. Aos 3,5 meses foi novamente internada por diarreia com sangue, desidratação, acidose metabólica e choque hipovolémico, com internamento na Unidade de Cuidados Intensivos Pediátricos. Aos 5 meses é de novo hospitalizada por diarreia com muco e sangue, levando a acidose metabólica grave e necessidade de correcção da volémia e hidro-electrolítica. Teve ainda infecção nosocomial por Rotavirus. O último dos internamentos, deveu-se ao mesmo quadro de diarreia muco-sanguinolenta e desidratação grave, com rápida estabilização no hospital. Isolou-se um Acinetobacter ursingii em hemocultura, Astrovirus e antigénio de Giardia lamblia nas fezes. Descrevem-se as hipóteses diagnósticas colocadas em cada momento e o estudo infeccioso, imunológico, gastrointestinal, metabólico, endócrino e renal desenvolvido, assim como o diagnóstico final.

Palavras Chave: diarreia, desidratação, choque hipovolémico.