imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA – QUANDO A DÚVIDA PERSISTE

Maria Luís Sacras1, Renata Jogo2, Anita Quintas3, Leonor Sassetti4, Maria do Carmo Pinto4

1- Área de Pediatria Médica, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa;
2- Serviço de Imagiologia, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa;
3- Serviço de Cirurgia Vascular, Hospital de Santa Marta, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa;
4- Unidade de Adolescentes, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa;

- Sessão Clínica da Unidade de Adolescentes, Hospital de Dona Estefânia

Introdução: O Síndrome de May-Thurner é um de muitos factores predisponentes à Trombose Venosa Profunda (TVP), mas que raramente é pesquisado, tratando-se por isso de uma entidade sub-diagnosticada. Trata-se de uma variante anatómica caracterizada por compressão da veia ilíaca esquerda pela artéria ilíaca direita contra L5, predispondo à estase e, consequentemente, à ocorrência de TVP.
Caso Clínico: R.M., adolescente de 15 anos do sexo feminino, que recorre ao Serviço de Urgência por quadro de dor lombar e abdominal, com irradiação ao membro inferior esquerdo, com antecedentes pessoais de Diabetes mellitus tipo I, Pielonefrite Aguda com internamento 2 semanas antes e início de contracepção oral dois meses antes. Após avaliação analítica e imagiológica, ficou sob observação por descompensação da sua doença de base, com o diagnóstico provável de adenite mesentérica. Inicia então queixas de dor na região inguinal esquerda com dificuldade de mobilização da perna esquerda, pelo que realiza avaliação imagiológica que revela”. Trombo oclusivo ao nível ileo-femoral esquerda”. Avaliada por Cirurgia Vascular confirma-se o diagnóstico de TVP esquerda em contexto de imobilização e início de toma de contraceptivos orais, pelo que é internada na Unidade de Adolescentes. Iniciou terapêutica conservadora com enoxaparinade baixo peso molecular. Por suspeita de Síndrome de May-Thurner, realiza Angio-TAC, que revela progressão do trombo e presença de flapping, sendo internada no Serviço de Cirurgia Vascular do Hospital de Santa Marta, para colocação de filtro na Veia Cava Inferior e trombectomia. A avaliação imagiológica subsequente confirmou o diagnóstico.
Conclusão: O Síndrome de May-Thurner predispõe à ocorrência de TVP íleo-femoral esquerda e é mais comum no sexo feminino, sendo frequentemente ignorado. Uma vez que a heparina de baixo peso molecular isoladamente não é um tratamento eficaz nestes casos, a presença deste síndrome deve ser pesquisado em todas as adolescentes a tomar contraceptivos com TVP femoral esquerda.

Palavras Chave: May-Thurner, TVP, contraceptivos