imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

O PAPEL DA IMAGIOLOGIA NOS MAUS TRATOS INFANTIS

 Rita Cabrita Carneiro

Ass. Hosp. Graduado, Serviço de Imagiologia Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa

II Congresso Nacional de Ortopedia Infantil e XIX Jornadas de Ortopedia Infantil
- Apresentação de conferência
- Publicação sob forma de resumo

Resumo:
Síndrome da criança maltratada, síndrome da criança batida, ou trauma não acidental, são termos se referem ao conjunto complexo dos maus tratos na criança. A negligência representa cerca de 72% dos casos de maus-tratos casos sinalizados no país, seguida pelos maus-tratos psicológicos (12%), maus-tratos físicos (9%) e abuso sexual (7%). O radiologista pode ser a primeira pessoa a sugerir o diagnostico do mau-trato físico com base nos achados em exame radiológico efectuado por outra razão. Descrevem-se os padrões de lesão sugestivos de maus tratos na criança (movimento de abanar/“shaking”), quais as lesões mais específicas para esta situação (fratura metafisátia, fracturas de costelas, fracturas multiplas em diferentes estadios de consolidação) e os possíveis diagnósticos diferenciais para estes achados, como o raquitismo ou a presença de displasia óssea

Palavras Chave: Síndrome da criança maltratada; fratura metafisátia