imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

LIDAR COM AS FRATURAS – “VOLTAR AO ATIVO”

Maria José Costa

2ª Jornadas da Associação Portuguesa de Osteogénese Imperfeita – APOI

Lisboa, Outubro 2014

Resumo
A frequência de fraturas nos doentes com osteogénese imperfeita é uma realidade sempre presente na vida destas crianças. As fraturas acarretam dores intensas e o medo de ter dores faz com que diminuam a atividade física e até deixem de brincar. Na apresentação foi exposto como lidar com este ciclo vicioso e quais as atividades que devem ser evitadas e as que devem ser estimuladas, no sentido de melhorar a qualidade de vida dos doentes com osteogénese imperfeita.