imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

CASO CLÍNICO: ENCEFALITE NECROTIZANTE AGUDA

Mariana Diogo1, Carla Conceição2, Joana Ramalho1, Jaime Pamplona1, Nuno Caçador1, João Reis1.

1 - Serviço de Neurorradiologia, Hospital São José, Centro Hospitalar Lisboa Central, E.P.E.;
2 - Serviço de Neurorradiologia, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Lisboa Central, E.P.E.

 - VIII Congresso Português de Neurorradiologia, 25 e 26 de Maio 2012, Porto (poster).

Introdução: A encefalopatia necrotizante aguda (ENA) é uma entidade mais comum em lactentes, caracterizada por quadro clínico de crises convulsivas, com sinais neurológicos focais e degradação rápida do estado de consciência, por vezes precedido de síndrome febril. Imagiologicamente caracteriza-se por lesões talâmicas bilaterais e relativamente simétricas, com restrição da difusão na fase aguda, frequentemente hemorrágicas, com extensão regional variável.

Caso Clínico: Apresentamos o caso clínico dum lactente previamente saudável, que iniciou quadro febril, interpretado como faringite viral, com progressão, em 3 dias, para depressão do estado de consciência, com desvio conjugado do olhar, crises convulsivas tónico-clónicas generalizadas e hemiparesia direita. À entrada, a tomografia computorizada (TC) revelou lesões hipodensas talâmicas bilaterais, do tronco cerebral e da substância branca dos lobos temporais, que foi interpretado como encefalite. Iniciou terapêutica com aciclovir e corticoesteroides. A TC CE de controlo evolutivo, realizado 48 h após o primeiro exame, mostrou agravamento imagiológico das lesões anteriormente descritas. Neste contexto, realizou ressonância magnética, que mostrou lesões hemorrágicas talâmicas bilaterais e simétricas, com extensão núcleo-capsular, envolvendo as cápsulas externas, úncus e protuberância. Perante este quadro clínico e imagiológico colocou-se a hipótese diagnóstica de ENA, corroborada pelos achados laboratoriais.

Conclusão: A ENA está associada a uma elevada taxa de morbilidade e mortalidade, sendo o diagnóstico precoce essencial no prognóstico destes doentes. Assim é de extrema importância que os neuroradiologistas estejam familiarizados com as características imagiológicas desta patologia.

Palavras-chave: encefalopatia necrotizante aguda; RM; lesões talâmicas; hemorragia.