imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

DESAFIOS NO ALGORITMO DO ESTUDO LABORATORIAL DA SÍFILIS

S.Marvim Oliveira ; Teresa Ferreira; Rosa Barros

Serviço de Patologia Clínica do Centro Hospitalar Lisboa Central, EPE.

Resumo:
O diagnóstico definitivo de infeção por Treponema pallidum requer identificação do microorganismo por microscopia de fundo que é difícil de se realizar devido à instabilidade da bactéria e à falta de acesso a este equipamento.
O estudo da infeção é complementado serologicamente através de técnicas analíticas tanto treponémicas como não-treponémica recorrendo-se à presença de anticorpos que se formam tanto contra a bactéria específica como para substâncias produzidas pela sua presença no organismo (anticorpos anti-cardiolipina/lecitina/colesterol), respetivamente.
O estudo dos anticorpos treponémicos tem vindo a realizar-se nestes últimos anos por técnicas de EIA (Enzyme-linked Imunoassay) e CMIA (Chemiluminescence Microparticle Imunoassay) que permitem o processamento de um maior número de amostras num menor período de tempo, dado o aumento de pedido destas análises.
A introdução destas novas técnicas como método de rastreio inicial no estudo laboratorial da sífilis trouxe ao patologista clínico novos resultados e com eles novos desafios na orientação dos doentes, alterações que necessitam de ser estudadas para melhorar a qualidade do diagnóstico.
Este poster pretende realçar os novos desafios que estas tecnologias introduziram e o modo que o médico os deve abordar para uma orientação eficaz dos doentes.