imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

URGÊNCIA NEURORRADIOLÓGICA EM PEDIATRIA

Carla Conceição.

Serviço de Neurorradiologia/Radiologia, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Lisboa Central, E.P.E.

- "O essencial em radiologia na criança e adolescente", Maio 2012, Hospital D. Estefânia, Lisboa (Palestrante 60').

Introdução: Os exames de neuroimagem em pediatria assumem, frequentemente, um papel importante no diagnóstico e orientação terapêutica de várias patologias que motivam a sua realização em contexto de urgência. Mas falar de imagem em pediatria é muitas vezes sinonimo de dificuldades, por um lado relacionadas com a realização dos próprios exames (deficiente colaboração, necessidade de sedação, instabilidade, entre outros factores), por outro lado relacionadas com diferenças estruturais e anatómicas e por último relacionadas com patologias ou modos de apresentação às vezes diferentes.

Objectivo: Descrever as alterações imagiológicas encontradas nas principais patologias que motivam a realização de estudos de neuroimagem na urgência pediátrica e também em situações que não sendo tão frequentes são importantes pela sua gravidade.

Metodologia/Resultados: São apresentadas situações típicas e respectivas alterações imagiológicas em determinados contextos clínicos, nomeadamente trauma, cefaleias, infecções do foro ORL e oftalmológico, convulsões, alterações do estado de consciência e suspeita de lesão medular. São ainda focadas as principais vantagens e desvantagens da TC e da RM, indicações para estudos de imagem e quais os exames mais indicados perante determinadas situações.
Em contexto de trauma são revistos exemplos de hematomas subdurais e epidurais, luxações, fracturas e focos de contusão, bem como de trauma não-acidental; nas infecções casos ilustrativos de celulite orbitária, otomastoidite, encefalite, meningite e várias complicações intracranianas; breve revisão de patologias "tipo" frequentemente apresentadas sob a forma de cefaleias, como os tumores, hidrocefalia ou malformações vasculares; e por ultimo alguns exemplos de patologia de lesão medular intrínseca ou extrínseca.

Conclusão: Os estudos de neuroimagem são em várias situações uma mais-valia na abordagem das crianças em contexto de urgência, sendo a sua integração com o contexto clinico e outros exames complementares fundamental para o diagnóstico, prognóstico e orientação terapêutica.

Palavras-chave: neurorradiologia; TC; RM; pediatria; urgência.