imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

QUANDO A TUBERCULOSE COMPLICA UMA SITUAÇÃO JÁ DE SI COMPLICADA: O PROBLEMA DOS DOENTES EVACUADO

Sérgio Alves1, Diana Póvoas2, Tiago Milheiro Silva1

1 - Unidade de Infecciologia Pediátrica, Área da Mulher, Criança e Adolescente, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, Lisboa
2 - Serviço de Doenças Infecciosas, Hospital Curry Cabral, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, Lisboa

- 19º Congresso Nacional de Pediatria, Outubro 2018, Estoril (poster)

Introdução: Os doentes evacuados de PALOP constituem um sério problema em termos de doenças transmissíveis, incluindo tuberculose e colonização por bactérias multirresistentes.
Caso clínico:Adolescente de 16 anos, sexo feminino, residente em Angola, evacuada por tumefação ilíaca com 18 meses de crescimento progressivo e perda ponderal de 30Kg. À admissão, apresentava-se febril, com mau estado geral, caquexia extrema, desidratação, úlceras de pressão e massa centrada à região ilíaca direita com 30cm de diâmetro invadindo o abdómen. Analiticamente com acidose metabólica, anemia (6g/dL), PCR 157mg/L, serologia VIH negativo e esfregaço com deteção de Plasmodiumfalciparum (0,5% de parasitémia), iniciando quinino e clindamicina IV. A TC mostrou massa ilíaca com destruição cortical comprimindo e invadindo a aorta, veia cava e bexiga e 2 cavitações pulmonares de grandes dimensões com drenagem brônquica (sinal de raquete de tênis). O exame histológico da massa ilíaca foi compatível com condrossarcoma grau 1. Foi detetada alta concentração de bacilos álcool-ácido resistentes no suco gástrico (4+), com isolamento de Mycobacteriumtuberculosis. Após discussão multidisciplinar, pela gravidade do estado geral e impossibilidade de cura, iniciou medidas paliativas, com óbito em D8.
Discussão:Um estado patológico e nutricional extremo pode levar à reativação de focos latentes, levando a TP pós-primária com alto potencial de contágio. O atraso na evacuação de doentes complexos agrava o prognóstico dos mesmos. Infelizmente, este cenário continua a ocorrer em países em desenvolvimento, onde protocolos de evacuação arrastados atrasam a assistência médica otimizada até um ponto em que a cura é impossível.

Palavras Chave: condrossarcoma, malária, tuberculose extrapulmonar