imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

INSTABILIDADE FEMOROPATELAR

Ana Luísa Proença1, Pedro Alves2

1 - Interna de Radiologia, Centro Hospitalar Lisboa Central, Lisboa, Portugal
2 - Assistente de Radiologia do Hospital Pediátrico D. Estefânia (CHLC), Lisboa, Portugal

XIV Congresso Nacional de Radiologia da SPRMN – CNR 2018 | Albufeira, 16-19 maio 2018. Póster educacional

OBJETIVOS: Rever sucintamente a anatomia normal da articulação femoro-patelar (IFP). Identificar factores de risco para IFP e descrever os métodos e medições para a sua avaliação. Ilustrar os achados imagiológicos associados à IFP.
MATERIAL E MÉTODOS: Pesquisa e recolha de imagens em arquivo no arquivo do nosso centro hospitalar. Revisão da literatura sobre o tema.
RESULTADOS: Os principais factores de risco associados a IFP são a displasia troclear, patela alta, lateralização do tubérculo tibial anterior e insuficiência do ligamento patelo-femoral medial. Os índices de altura patelar, o ângulo do sulco da tróclea, a distância TA-GT e o deslocamento lateral da patela são as medições mais importantes na avaliação da IFP.
CONCLUSÕES: A avaliação radiológica inclui radiologia convencional (incidências de perfil do joelho e axial da rótula), TC e RM, para a avaliação da morfologia, congruência e alinhamento da tróclea e da rótula. A RM oferece a vantagem da avaliação da integridade ligamentar e de lesões osteocondrais. Identificar a causa da IFP é fundamental para o planeamento cirúrgico.