imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

A INSTABILIDADE PATELAR EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Catarina Pereira1, Patrícia Rodrigues2, Delfin Tavares2

1 - Serviço de Ortopedia, Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca, EPE, Amadora
2 - Serviço de Ortopedia Pediatríca, Hospital Dona Estefância – Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, Lisboa

Artigo publicado em Revista de Medicina Desportiva informa. 2018; 9(6): 26-28

Resumo:
A Instabilidade patelar é a patologia do joelho mais comum durante o crescimento. Após o primeiro episódio de luxação patelar existem cerca 40% de recorrências. O tratamento conservador é a estratégia preferida em primeiro tempo, mas em casos com predisposição anatómica concomitante e recidiva, a reconstrução cirúrgica pode ser considerada. Nestes casos, quando há imaturidade esquelética, a reconstrução do ligamento femoropatelar medial (LFPM) pode ser suficiente, associado ou não a procedimentos de partes moles, com o objetivo de estabilização permanente da patela ou, no mínimo, um ganho de tempo para a realização de um procedimento ósseo definitivo. As luxações recorrentes da patela levam a alterações na cartilagem, daí ser importante a realização de tratamento precoce. Apesar de ainda ser um tema controverso, a reconstrução do LFPM tem mostrado ser eficaz no tratamento da instabilidade patelar, tendo como vantagem a possibilidade de se poder utilizar uma técnica cirúrgica que não danifica a cartilagem de crescimento.

Palavras Chave: crianças/adolescentes, Instabilidade patelar, ligamento femoro-patelar