imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

TERATOMA MADURO DO MEDIASTINO, UMA ABORDAGEM MINIMAMENTE INVASIVA

Sofia Lima1, Maria Knoblich1, Sofia Morão1, Rui Alves1, João Pascoal1

 

1. Serviço de Cirurgia Pediátrica, Hospital Dona Estefânia- CHLC,

- 10º Congresso da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Minimamente Invasiva, 12 a 14 de Outubro, 2017 (video)

Introdução: Os tumores de células germinativas do mediastino são raros, com uma incidência estimada de 0,1 a 0,2/100 000 pessoas. O teratoma maduro inclui-se neste grupo, e é de carácter benigno, com remoto potencial de transformação maligna. O tratamento destas massas é a sua ressecção, para permitir um correto diagnóstico e para tratar ou prevenir potenciais sintomas associados.
Caso clínico: Apresentamos um caso clínico com vídeo que corresponde a uma adolescente de 15 anos de idade, sexo feminino, que recorre ao Serviço de Urgência Pediátrico por toracalgia, sem outros sintomas associados, com história de episódio semelhante 2 meses antes. Realizou estudo complementar, de que se destaca a tomografia computorizada que revelou em topografia do mediastino anterior à esquerda, lesão nodular com dimensões 78x74x61mm, de contornos regulares e limites bem definidos, com densidade tissular e foco de densidade adiposa, compatível com teratoma do mediastino. Do estudo analítico a referir ligeiro aumento da Velocidade de Sedimentação; os marcadores tumorais CEA, AFP e B-HCG eram negativos. Foi submetida a vídeo-toracoscopia sob ventilação seletiva. Constatou-se teratoma do mediastino anterior localizado sobre a emergência da veia pulmonar esquerda, aderente ao lobo superior do pulmão esquerdo e ao pericárdio. Foi feita excisão da lesão por meio de disseção ultrassónica e eletro-coagulação e a sua exteriorização através do alargamento uma porta de trabalho (3cm). O resultado do exame histopatológico revelou teratoma maduro do mediastino. Evoluiu bem no período de pós-operatório, tendo tido alta ao 3º dia de pós-operatório. Sem intercorrências no follow-up. 
Discussão: A abordagem clássica do teratoma do mediastino é a toracotomia, especialmente nos casos em que as massas apresentam grande dimensão (superior a 6cm, segundo alguns autores), mas também quando se preveem aderências importantes a orgãos/ estruturas major; contudo, cada vez mais se tem tornado frequente a realização de cirurgia torácica vídeo-assistida na ressecção de teratoma maduro do mediastino, com bons resultados estéticos e sem aumento de complicações ou recorrências.

Palavras-chave: teratoma; mediastino; videotoracoscopia