imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

Obstrução Intestinal Neonatal

Maria do Rosário Almeida Ferreira Bartilotti de Matos Carvalho

Especialidade de Radiologia, Departamento de Radiologia do Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central EPE, Lisboa.

- Preleção no Módulo de Pediatria da Escola da Sociedade Portuguesa de Radiologia e Medicina Nuclear (ESPRMN), sede da SPRMN, Lisboa, 18 de Fevereiro de 2017

Introdução
A obstrução intestinal é uma das urgências cirúrgicas mais comuns no recém-nascido, e impõe um diagnóstico atempado. Entre as patologias mais comuns, encontramos como causas de obstrução alta a atrésia do esófago, a estenose hipertrófica do piloro, a atrésia duodenal e a obstrução por bandas de Ladd em contexto de má-rotação intestinal. Entre as causas de obstrução baixa, incluem-se as atresias distais, as malformações ano-rectais, osíndrome do mecónio espessado, a doença de Hirshprung e a má rotação intestinal com volvo.
Objetivos
Propõe-se uma abordagem sistematizada na avaliação radiológica do neonato com suspeita de obstrução intestinal.
Resultados
A radiografia simples do abdómen permite a análise da distribuição do padrão gasoso intestinal, sendo o pilar de orientação imagiológica subsequente. A ecografia, exame de primeira linha em pediatria, é realizada sistematicamente em complementaridade. Pode representar a chave diagnóstica em situações de obstrução neonatal, como por exemplo na estenose hipertrófica do piloro e na má-rotação intestinal. Os estudos contrastados do tubo digestivo têm indicações específicas, assim como a Tomografia Computorizada.
Conclusão
O carácter urgente das situações de obstrução intestinal neonatal, potencialmente fatais neste grupo etário tão delicado, justifica por parte do médico radiologista o reconhecimento das principais patologias e padrões radiológicos relacionados.

Palavras chave: obstrução intestinal neonatal; malformação congénita.