imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

ESPLENOMEGALIA E ATRASO DO DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR – UM CASO CLÍNICO DE DOENÇA DE NIEMANN-PICK TIPO C

Gonçalo Padeira1, Inês Pó2, Sara Nobrega3, José Pedro Vieira4, Carla Valongo5, Paulo Gaspar5, Laura Vilarinho5, Ana Cristina Ferreira6

1 Interno de Pediatria Médica, HDE, CHLC
2 Pediatra, HDE, CHLC
3 Unidade de Gastrenterologia HDE, CHLC,
4 Serviço de Neuropediatria, HDE, CHLC,
5 Unidade de Rastreio Neonatal, Metabolismo e Genética, INSA-Porto,
6 Unidade de Doenças Metabólicas, HDE, CHLC

Reunião da Área da Mulher, Criança e Adolescente, 18 de julho de 2107

Resumo:
A doença de Niemann-Pick tipo C (NP-C) é uma doença neurovisceral hereditária rara, causada por mutações no gene NPC1 ou NPC2, que causam uma perturbação no transporte intracelular de colesterol, conduzindo à sua acumulação nos lisossomas do cérebro e outros tecidos.
A idade de início do envolvimento neurológico (neonatal, infantil precoce, infantil tardio, juvenil e adulto) correlaciona-se com a gravidade da doença e a resposta ao tratamento. Os sinais neurológicos mais característicos são a paralisia da supraversão do olhar, a alteração dos movimentos sacádicos e a cataplexia gelástica. Os sinais sistémicos como icterícia colestática neonatal ou hepatoesplenomegalia tipicamente precedem as manifestações neurológicas mas com frequência são reconhecidos apenas retrospectivamente.
A demonstração de comprometimento do transporte de colesterol intracelular através da coloração com filipina em fibroblastos cultivados a partir de biópsia de pele continua a ser o método diagnóstico tradicionalmente utilizado. No entando, dada a morosidade e complexidade na sua interpretação, outros biomarcadores como os oxisterois e o lyso-509 têm sido investigados.
Apresentamos um caso clínico de uma menina, ex-prematura de 35 semanas, referenciada à consulta aos 21 meses de idade por atraso do desenvolvimento psicomotor, elevação da AST e esplenomegalia (provavelmente desde o nascimento). Apresentava alguns sinais sugestivos de doença de armazenamento lisossomal, como fácies um pouco grosseiro, hipertricose, flexão dos cotovelos e joelhos, otites de repetição e hipoacusia, sem paresia da supraversão do olhar. Da investigação metabólica realizada, salienta-se o doseamento dos mucopolissacarídeos e oligossacáridos, que se revelaram normais, a β-D-quitotriosidase moderadamente elevada e esfingomielinase normais. O doseamento de oxisterois no plasma, exame recentemente disponibilizado pelo INSA-Porto, permitiu um diagnóstico mais célere e preciso da doença de NP-C, confirmado posteriormente pela presença de uma mutação em homozigotia no gene NPC1. Posteriormente constatou-se regressão do desenvolvimento psicomotor, paresia da supraversão do olhar, cataplexia gelástica, tremor e disfagia. O prognóstico é reservado apesar do início do tratamento com miglustat há cerca de um mês.