imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

DOENÇA DE KAWASAKI, LEPTOSPIROSE OU UM GRANDE QUEBRA CABEÇAS?

Catarina Cristina1, Flora Candeias1, Margarida Paula Ramos2, Fátima Pinto3, Maria João Brito1

1Unidade de Infeciologia e 
2Unidade de Reumatologia do Hospital Dona Estefânia
3Unidade de CardiologiaPediátrica do Hospital Santa Marta, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE

18º Congresso Nacional de Pediatria, publicação sob a forma de Poster em sala

Resumo:
Introdução: A doença de Kawasaki (DK) e a Leptospirose são doenças pouco frequentes em Portugal. A forma incompleta da DK e as formas anictéricas da leptospirose podem ter apresentações semelhantes dificultando o diagnóstico.
Relato de Caso: Menino de 3 anos com febre elevada, hiperemia conjuntival bilateral, lábios eritematosos e fissurados, exantema escarlatiniforme, eritema e descamação perianal, escleróticas ictéricas e hepatomegália. A ecografia abdominal revelou hidrópsis vesicular e hepatoesplenomegalia de contornos regulares. Analiticamente: leucograma normal, VS 45mm/h, PCR 64mg/L, AST 109U/L, ALT 96U/L, GGT 387U/L, bilirrubina total/direta 5.9/4.9mg/dl, albuminémia 29g/L e leucocituria 225/uL. O ecocardiograma mostrou regurgitação mitral e tricúspide ligeiras, pequeno derrame pericárdico, ligeira dilatação do tronco comum e descendente anterior esquerda. Foi medicado com Ig EV 2gr/kg e AAS 80mg/kg/dia. Por manutenção da febre realizou 2ª dose Ig EV e pulsos de metilprednisolona, sem melhoria. Na segunda semana de doença registou-se descamação das extremidades, em dedos de luva, e agravamento da função hepática com AST 1213U/L, ALT 706U/L, GGT 1316U/L. A angio TAC toracoabdominal mostrou aumento das dimensões do tronco da artéria pulmonar e opacidades parenquimatosas em vidro despolido. A evolução e a posterior confirmação de contacto com ratos em casa da avó obrigaram a uma investigação de novo, identificando-se leptospiras na urina. Realizou amoxicilina durante 10 dias e teve alta clinicamente bem.
Conclusão:A leptospirose pode cursar com vasculite e inclui-se no diagnóstico diferencial da DK. As semelhanças entre estas duas entidades, como aconteceu neste caso, dificultam o diagnóstico tornando-o num autêntico desafio.

Palavras Chave: Doença de Kawasaki; Leptospirose; Vasculite