imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

DOENÇA BIPOLAR EM CRIANÇAS E JOVENS – PONTOS DE CONTROVÉRSIA ACTUAIS

Diana Branco Vieira (1), Maria Castello Branco (1), Sara H. Pires (1)

1- Interna de Pedopsiquiatria, Área da Mulher, Criança e Adolescente, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, Lisboa.

- Póster apresentado na 2ª edição das Jornadas de Pedopsiquiatria, nos dias 12, 13 e 14 de Outubro de 2017, no Auditório Joaquim Laginha (ISCTE).

Resumo:
Introdução: Tem-se verificado nas últimas duas décadas um aumento do diagnóstico de Doença Bipolar (DB) na população pediátrica. Historicamente a DB foi considerada uma doença rara em crianças e adolescentes, e o debate sobre a sua ocorrência nesta faixa etária tem mais de 50 anos. Actualmente permanece a controvérsia sobre a aplicabilidade dos critérios diagnósticos de DB nas crianças, particularmente em idade pré-escolar. Igualmente controversa é a fenomenologia associada à DB nestas idades e o seu curso a longo-prazo.
Objetivos: O âmbito deste trabalho é fazer uma revisão da literatura mais actualizada quanto à aplicabilidade dos critérios de diagnóstico (DSM V) da DB, na população pediátrica. Serão abordadas diferenças na fenomenologia consoante os grupos etários. Outro ponto de enfoque será o diagnóstico diferencial da DB, com outras patologias pedopsiquiátricas frequentes. Serão ainda explorados os pontos de controvérsia actuais na realização deste diagnóstico em crianças e jovens.
Métodos: Revisão Sistemática de estudos e artigos de revisão, com data de publicação até Setembro de 2017, através de pesquisa nas plataformas PubMed, Elsevier e Science Direct, com as palavras-chave "Bipolar disease", "adolescents", "children", “diagnosis” e "controversies".
Resultados e conclusões: A fenomenologia da DB na idade pediátrica ainda é altamente debatida. Na comparação dos sintomas maníacos nos diferentes grupos etários, parece que a irritabilidade é uma característica chave da DB de início na infância, o aumento de actividade é mais proeminente na DB de início na adolescência e a pressão de discurso é mais característica da DB de início na idade adulta. O curso e desenvolvimento da longo-prazo da DB pediátrica ainda necessitam de ser melhor clarificado. O seu diagnóstico diferencial pode ser difícil, sendo particularmente útil o seguimento a longo-prazo. São necessários mais estudos longitudinais que avaliem a apresentação e curso a longo-prazo da DB nesta faixa etária.

Palavras Chave: "controvérsias", “diagnóstico” e "doença bipolar"