imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

BLOQUEIO DO QUADRADO LOMBAR TRANSMUSCULAR PARA ABORDAGEM DE CIRURGIA ABDOMINAL EM DOENTE PEDIÁTRICO

Sónia Nóbrega1; Hugo Trindade1

1 - Anestesiologia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa

Apresentação sob a forma de póster no Congresso do Clube de Anestesia Regional (CAR)

Resumo:
Introdução:
O Bloqueio do quadrado lombar (BQL) tem revelado eficácia analgésica em cirurgia abdominal, reduzindo a necessidade de opióides, sendo uma alternativa válida ao bloqueio do neuroeixo.
Caso Clínico:
Doente de 14 anos, sexo masculino, 36 kg, ASA III, proposto para encerramento de ileostomia. Com antecedentes pessoais de Doença de Hirschprung e Doença de Crohn com 7 anos de evolução, com múltiplas fístulas e abcessos e múltiplas cirurgias colo-rectais. Foi realizada uma Técnica Anestésica Combinada: AGB + Bloqueio do quadrado lombar tipo III ecoguiado. Utilizou-se uma agulha de neuroestimulação de 80mm e, num trajeto inplane, atravessando o músculo do quadrado lombar (trajecto transmuscular), depositou-se 15 ml de Levobupivacaína 0,5% (2,4ml/kg) entre o músculo psoas e o quadrado lombar. Foram ainda administrados Paracetamol e Cetorolac. O doente manteve boa estabilidade hemodinâmica sem recurso a opióide além do utilizado na indução (Fentanil 2,5mcg/kg) e acordou sem queixas álgicas, com necessidade de administrar 3mg de Morfina ao fim de 30 minutos, na UCPA, por dor 5/10. Às 24h após o bloqueio, dor estática 3/10 e dinâmica 6/10 sob analgesia convencional (Paracetamol 540mg 6h/6h e Cetorolac 20mg 8h/8h).
Discussão:
O BQL proporcionou uma analgesia eficaz no intra mas não no período pós-operatório. A presença de D. Crohn e a inflamação subjacente poderá ter contribuído para este insucesso. São necessários mais casos para admitirmos a eficácia do BQL em cirurgia abdominal pediátrica em todo o período perioperatório.