imagem top

2018

ANUÁRIO DO HOSPITAL DONA ESTEFÂNIA
REPOSITÓRIO MÉDICO CIENTÍFICO

logo chlclogo HDElogo anuario

ABORDAGEM CLÍNICA NAS ALTERAÇÕES NEUROLÓGICAS

Rita Lopes da Silva1

 1- Serviço de Neurologia Pediátrica, Área de Pediatria Médica, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Lisboa Central, Lisboa

1ª Reunião ELI Oeiras “Do diagnóstico à prática clínica”, Barcarena, 20 Janeiro 2017 (comunicação oral)

Resumo:
No diagnóstico das doenças neurológicas é fundamental a realização de uma história clínica detalhada, que inclua não só uma descrição de todas as manifestações da doença, como os antecedentes pessoais e familiares de relevo. Com o conhecimento da anatomia e funcionamento do sistema nervoso, após a realização do exame neurológico, é possível fazer um diagnóstico topográfico da lesão que irá orientar o pedido dos exames complementares de diagnóstico. A avaliação laboratorial, imagiológica (TAC, Ressonância) e neurofisiológica (EEG e EMG) vão contribuir para a identificação da causa da doença (diagnóstico etiológico). Para a elaboração do plano de intervenção do doente, é também importante conhecer qual o prognóstico e perfil evolutivo, que pode ser classificado em estático ou progressivo/degenerativo. As manifestações cognitivas e/ou motoras das doenças neurológicas podem ter um impacto significativo na funcionalidade, autonomia, capacidade de aprendizagem, comunicação e socialização.