imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

PONTOS DE PARTIDA PATOLÓGICOS NA INVAGINAÇÃO INTESTINAL – REVISÃO DE 7,5 ANOS NUM HOSPITAL TERCIÁRIO

Maria Luís Sacras, Pedro Reino Pires, Maria Knoblich, Sara Cordeiro Pereira, João Pascoal

Serviço de Cirurgia Pediátrica, Hospital Dona Estefânia (HDE), Centro Hospitalar Lisboa Central (CHLC), E.P.E.

- Reunião anual da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Pediátrica, Lisboa 11 e 12 de Novembro de 2016 (comunicação oral)

Introdução: A invaginação intestinal é a causa mais comum de obstrução intestinal na 1ª infância. Considera-se que, na maior parte das crianças com idade inferior a 3 anos, não existe um ponto de partida patológico (invaginação primária). A incidência da invaginação secundária a um ponto de partida patológico aumenta após os 4 anos de idade, sendo a etiologia mais comum o divertículo de Meckel.
Objectivos: Identificar as causas patológicas de invaginação intestinal.
Metodologias: Estudo retrospectivo dos doentes internados no H. D. E. com o diagnóstico de invaginação intestinal entre Janeiro de 2009 e Junho de 2016. Foi consultado o respectivo processo clínico, tendo em conta a idade (0-18 anos), exames de imagem, relato operatório e exame anatomo-patológico.
Resultados: Do total de doentes internados com o diagnóstico de invaginação intestinal, foi identificado um ponto de partida patológico em 14,3% (19 doentes). A média de idades foi de 3,9 anos (intervalo de idades entre os 2 meses e os 14 anos), sendo a maior parte (63,2%) do sexo masculino. Todos os doentes foram submetidos a tratamento cirúrgico, com ressecção intestinal segmentar e anastomose primária. As indicações cirúrgicas mais frequentes foram a suspeita clínica da existência de um ponto de partida patológico ou de complicações associadas. Na maior parte dos casos, o ponto de partida identificado no exame anatomo-patológico foi o divertículo de Meckel; o linfoma de Burkitt foi a 2ª causa mais frequente (21,1%), seguindo-se os quistos de duplicação intestinal.
Conclusão: A invaginação intestinal secundária predominou no sexo masculino, sendo o divertículo de Meckel o ponto de partida mais comum. O linfoma de Burkitt é geralmente considerado uma causa rara de invaginação, no entanto constituíu a 2ª causa mais comum nesta série. A suspeita clínica da existência de um ponto de partida patológico é fundamental para a abordagem e correção cirúrgicas.

Palavras-chave: Invaginação intestinal; pontos de partida patológicos; Divertículo de Meckel