imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

CARACTERIZAÇÃO CLÍNICA DOS DOENTES COM ELEVAÇÃO DOS NÍVEIS DE IGE TOTAL NUM HOSPITAL PEDIÁTRICO TERCIÁRIO

Joana Gomes Belo, Nicole Pinto, Vitória Matos, João Gaspar Marques, Pedro Carreiro Martins, Paula Leiria Pinto

1. Serviço de Imunoalergologia, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE, Lisboa;
2. Serviço de Patologia Clínica (Imunologia), Hospital de São José, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE

- 37ª Reunião Anual da SPAIC. Lisboa, Outubro de 2016 (Poster)
­- 2016 EAACI Congress, Viena, Junho de 2016 (Poster)

Introdução: Dos cinco isotipos de imunoglobulinas presentes em circulação, a IgE é aquela presente em menor quantidade, com uma concentração média de cerca de 25 kU/l. Múltiplas patologias podem estar associadas a aumento dos seus níveis, sendo a alérgica a mais frequentemente implicada. Patologias infecciosas, parasitárias, imunodeficiências e neoplasias podem também cursar com elevação dos níveis de IgE total.
Objectivo: Caracterização clínica dos doentes com elevação dos níveis de IgE total com seguimento em Consulta Externa e/ou história de internamento hospitalar.
Métodos: Estudo retrospectivo dos doentes seguidos em Consulta hospitalar e/ou história de internamento no Hospital de Dona Estefânia com elevação da IgE total superior a 2000 kU/l, durante os anos 2013 e 2014. Foi efectuada uma análise descritiva destes doentes, nomeadamente idade, sexo e patologias associadas.
Resultados: A amostra obtida era constituída por 83 indivíduos, com predomínio do sexo masculino (70%), com uma mediana de 10 anos de idade (P25-75: 8-15). O doseamento de IgE total foi solicitado sobretudo em contexto de Consulta de Imunoalergologia (62,6%), seguida pela Consulta de Pediatria Médica (26,5%) e pelos diversos Serviços de Internamento de Pediatria médica (10,8%). A mediana dos valores de IgE total encontrada foi de 3179 KU/l (P25-75: 2312 – 4651). A contagem de eosinófilos foi avaliada em 89,2% dos doentes, tendo sido observada eosinofilia em 70,3% dos indivíduos. Destes, 21% apresentavam hipereosinofilia. Relativamente à patologia alérgica, estava presente em 90,4% dos doentes. Da amostra global, 79,5% dos indivíduos apresentavam diagnóstico de rinite alérgica, 47% de asma e 45,8% de eczema atópico, grave em cerca de 1/3 destes doentes, e 32,5% de alergia alimentar. 78,3% dos doentes apresentava testes cutâneos e/ou IgE específicas positivas para aeroalergénios comuns. Em três doentes foi diagnosticada infecção parasitária. Dois doentes apresentavam diagnóstico de imunodeficiência primária.
Conclusões: No presente estudo, e de acordo com a literatura, a doença atópica representa a principal etiologia subjacente ao aumento da IgE total, nomeadamente sob a forma de rinite alérgica, asma e de eczema atópico. Na nossa amostra, as infecções parasitárias e as imunodeficiências primárias constituíram uma percentagem residual das patologias associadas ao aumento de IgE.

Palavras-chave: IgE total, atopia, eosinófilos