imagem top

2019

ANUÁRIO DO HOSPITAL
DONA ESTEFÂNIA

CHULC LOGOlogo HDElogo anuario

A IMPORTÂNCIA DA VIDEOENTEROSCOPIA POR CÁPSULA EM IDADE PEDIÁTRICA: A PROPÓSITO DE DOIS CASOS DE DOENÇA DE CROHN.

Anaxore Casimiro.


Unidade de Gastrenterologia, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Lisboa Central, E.P.E.

- Sala de Conferências do HDE, 24 de Abril de 2012 (Apresentação).

A videoenteroscopia por cápsula (CE) tem tido nos últimos anos um papel importante na avaliação do intestino delgado, principalmente na doença inflamatória intestinal de difícil esclarecimento por outros métodos endoscópicos.
Apresentam-se dois casos clínicos de Doença de Crohn, com apresentação atípica, em que a CE teve um papel importante na sua abordagem. Finalmente, faz-se uma pequena revisão teórica das suas indicações em idade pediátrica.
Caso 1: Adolescente do sexo masculino, 15 anos, com antecedentes familiares de uma tia materna falecida com leucemia e pessoais irrelevantes, transferido da Unidade de Saúde Local do Norte Alentejano (USLNA) em Janeiro de 2011. Inicia em Setembro de 2010 dejecções pastosas, não sanguinolentas, acompanhadas de dor abdominal tipa cólica nos quadrantes direitos, anorexia, astenia e perda ponderal de agravamento progressivo. Analiticamente não apresentava alterações de relevo. Fez em ambulatório em Novembro de 2010 EDA que não revelou alterações e em Janeiro de 2011 TAC abdominal na USLNA com espessamento das paredes do estômago e das paredes das ansas do intestino delgado e dos mesos. Da investigação efectuada no HDE, destaca-se ASCA positivo, EDA apresentando bulbo com lesão eritematosa com exsudado nacarado, localizada na parede posterior, mucosa circundante edemaciada e de aspecto irregular. Após biópsia na regão peri-lesional observou-se saída de conteúdo líquido espesso em quantidade significativa. Colonoscopia sem alterações. Para melhor esclarecimento do quadro clínico realizou CE que contribuiu para o esclarecimento do quadro clínico e instituição da terapêutica.
Caso 2: Criança de 9 anos, seguida na consulta de infecciologia por síndrome febril intermitente com cinco meses de evolução, internada na unidade de Infecciologia em Maio e Julho de 2011 para esclarecimento deste quadro. Da extensa avaliação analítica e imagiológica realizada, destaca-se Ecografia, TAC e RM abdominal com espessamento de ansa ileal e EDA e colonoscopia com biópsias, que não revelaram alterações. Fez CE que revelou imagens sugestivas de Doença de Crohn, tendo iniciado terapêutica, com melhoria clínica.

Palavras-chave: videoenteroscopia, cápsula, Doença de Crohn, criança.